segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Os Vários Tipos de Papel e a receita da MASSA!!!!

Introdução

O Papier Mâché é uma técnica que requer pouca habilidade, porém paciência, pois toda peça é um projeto que possui etapas, tempo de execução e intervalos de descanso a serem respeitados. Portanto prepare-se: é ame-o ou deixe-o!
Por mais incrível que possa parecer tenho muitas amigas e alunas lá na Casa de Cultura Laura Alvim que são agitadas e até ansiosas que fazem do trabalho com o Papier Mâché uma terapia. É o momento mais zen do dia, segundo elas.
Bom... Eu sou suspeitíssima...  A - D – O – R - O !!!

Dicas de ouro:

Por ser uma massa, o Papier Mâché sempre precisará de um molde para ser usado como forma ou de uma estrutura para a sua sustentação.

Uma pia ou tanque por perto é muito prático na hora de fazer a massa e lavar o material de apoio.

Este blog segue uma ordem de dificuldade crescente, através dos posts, por isso é importante seguir a ordem se você não tem muita intimidade com técnicas manuais e artesanato.

A ideia é passar uma base boa, para aprender a técnica e poder seguir com seus próprios projetos.

Em primeiro lugar vou ensinar a massa do Papier Mâché para que possamos fazer a nossa primeira peça, que passarei pra você no post seguinte.
E na sequencia ensinarei a técnica do empapelamento, das camadas de papel ou papietagem como divulgou uma artista plástica e professora (que eu ficarei devendo a você o nome, pelo menos por enquanto). Esta técnica é extremamente importante, pois quase sempre precisaremos preparar a peça com as camadas de papel antes de cobrirmos com a massa. O empapelamento também pode ser utilizado como único revestimento da peça. Neste caso serão necessárias muitas camadas para que o objeto fique firme e durável.
Nos próximos posts você verá uma grande variedade de papéis a serem empregados na técnica do Papier Mâché. 

E aqui vai uma descrição dos tipos de papel mais utilizados pra você começar a juntar em casa...

Sim! Prepare-se: o Papier Mâché é uma cachaça e logo você começará a juntar sucata, pegar coisas na rua (meu marido fica doido e finge que nem me conhece... AhAhAhAh! Nem ligo! J), colecionar papel de embrulho, papel de seda (o Natal está chegando com aquele monte de presentes embrulhados nele... OBA!!!).

Jornal:

É o material mais barato, mais ecológico e mais fácil de ser encontrado.
    É utilizado em várias etapas da confecção da peça. Moldar, montar, unir as         partes e também para fazer a massa de Papier Mâché.

Papel Craft:

Encontrado em várias gramaturas, usado para embalar e proteger peças enviadas pelo correio ou outro tipo de transporte.
Por ser um papel muito forte, é excelente para usar no empapelamento, porque devido a sua estrutura, são necessárias poucas camadas para a peça ficar firme e pronta para passar a massa. Aposte nesse papel se você quiser fazer apenas o empapelamento e não quiser utilizar a massa para cobrir. Isso eu junto, desamasso, dobro e guardo naquelas bolsas plásticas com zíper, que vem nas embalagens de lençol, são ótimas pra organizar isso!

Papel Pardo

Semelhante ao craft, é mais amarelado meio alaranjado. É um papel muito resistente e em minha opinião um dos melhores para trabalhar devido a sua estrutura de fibras, pode ser empregado da mesma forma que o jornal. Também vai parar na bolsa-plástica-embalagem-de-lençol!

Papel de Embrulho reciclado:

Normalmente encontrado na cor rosa e cinza, é usado em lojas de ferragem, bazares, etc., para embrulhar a mercadoria, também possui várias gramaturas. Esse papel também deve ser empregado do mesmo jeito que o jornal, cobrir, unir e até para fazer a massa.

Papel de seda:

De diversos tipos e cores, é muito empregado no acabamento da técnica do empapelamento, quando não será aplicada a massa para cobrir a peça. Seu uso serve para suavizar os remendos do papel mais grosso. Outro item que vai pra bolsa-plástica-embalagem-de-lençol. Todos!

Papel Higiênico:

Esse é o campeão no quesito facilidade quando se trata de fazer a massa, pois ele dissolve muito rapidamente sem precisar deixar de molho. Porém se o quesito é empapelar ele não serve. Esqueça-o!
O melhor papel higiênico é aquele mais barato de folha simples. Esse embola menos.

Estes são os mais utilizados, mas você poderá usar aqueles sacos de papel de padaria, encarte de jornal, sobra de impressora e até papel de revista (o papel couché) para empapelar, sendo que este último não é muito bom para formar a massa, mas no empapelamento é ótimo!

Eu prometi que daria a receita da massa com fotos passo a passo.

Essa receita foi desenvolvida pela artista plástica Lygia Torres, minha guru e eu tive uma pequena participação nisso... 

Há muitos anos, a massa era feita com papel, cola, gesso e farinha de trigo e depois de alguns anos, a peça dava bicho... 

Durante o processo de pesquisa a Lygia foi fazendo muitas experiências para manter as brocas e os cupins longe do objeto de papier mâché, afinal ele fazia esculturas e queria uma vida longa pros seus objetos.

Uma massa que durou bastante era feita utilizando formol. O problema é que a massa ficava tóxica pra gente também L.

Depois foi testado um desinfetante hospitalar bruto.  E quando eu a conheci ela utilizava os dois combinados. Isso garantia mais alguns anos de duração à peça, e retardava um pouco mais a ação dos comedores de papel e assim, mas os bichinhos continuavam a atacar...

As pesquisas prosseguiam...

Até que tivemos a brilhante ideia de tirar a farinha de trigo por completo e deixar somente o gesso. A Lygia sempre dizia que esses bichos são muito parecidos com aqueles que aparecem no macarrão, no fubá (tipo caruncho ou gorgulho) e só podem vir atrás da farinha.  

Então pensei... A farinha se presta a duas coisas: endurecer a massa quando seca e fazer a liga, coisa que o gesso e a cola poderiam substituir facilmente ...  Testamos e... 

Voilá!

Chegamos essa massa que utilizamos há uns 20 anos, pelo menos...

Ficamos livres dos bichos do macarrão e agora o nosso Papier Mâché é tão suscetível ao ataque de insetos quanto qualquer móvel de madeira.

Ou seja ele não atrai mais esses monstrinhos! 

Preparando a Massa de Papier Mâché com Papel Higiênico


Material:



·    Uma bacia plástica
·    Um pano de chão (tipo saco de farinha)
·    4 rolos de papel higiênico folha simples. Se usar o de folha dupla, use apenas 2! O papel que é mais fácil de trabalhar é esse:


·    1 kg ou de gesso cré. Esse é um gesso de secagem lenta, utilizado em decoração e técnicas de envelhecimento, encontrado em lojas de tintas. Não é muito vendido e por isso é comum que a loja não o tenha na prateleira, mas aceite que você encomende. O gesso de secagem rápida NÃO SERVE!
A marca é qualquer uma, mas o gesso é esse aqui:

·    1/2 litro de cola branca industrializada. Vamos utilizar quase toda a embalagem. Deixaremos apernas 2 dedos de cola no fundo do pote

Modo de fazer:

  1. Encha a bacia com água e vá desenrolando o papel aos poucos deixando-o cair na bacia.
  2. Na bacia, chacoalhe a água com as mãos até desmanchar todo o papel. Ficará como uma papa.
  3. Coe o papel desmanchado, no saco de pano e esprema bem para retirar a água;
  4. Jogue novamente na bacia e separe-os, soltando totalmente a polpa do papel com a ponta dos dedos. Vamos despelotar, desembolar, desberlotar, ou seja soltaremos ele todo, para que não fique grudado um no outro. Isso é importante para que a massa fique lisinha.
  5. Depois do papel completamente solto, junte o gesso misture com as mãos. 
  6. Junte e a cola aos poucos. Lembre-se de deixar dois dedos de cola na embalagem. 
  7. Vá amassando com as mãos, até que se forme uma massa homogênea com consistência de pasta.

     A ideia é sovar mesmo! Quem faz massa de Papier Mâché não tem tendinite! Utilize as duas mãos é uma ótima terapia muscular! ;)
     A massa pode ser embrulhada em papel filme e guardada em potes plásticos bem vedados na geladeira por meses.
     Você pode se deparar com uma massa de cheiro e cor ruins. Isso é a cola que hoje em dia estraga. Antes isso era impossível. Porém, esse fato não muda a qualidade da massa que depois de aplicada na peça, seca e o cheiro some. 
     Quanto a cor... Fica linda, muitas vezes eu nem pinto. 
     Parece uma pátina: perfeita!

Espero que você tenha sucesso e se precisar não hesite em postar as suas dúvidas. Responderei a todas!

No próximo post: a máscara!